21 de out de 2008

Liberte-se


É melhor não falar! Papai dizia: “Boca fechada não entra mosquito!”. O ato de calar-se repete o tempo todo, no trabalho, com a família, na faculdade, com os amigos, não importa, estamos cada vez mais nos calando, ficando de boca lacrada, engolindo os sentimentos, emoções, os medos... Normalmente, só abrimos à boca quando alguém nos dá a permissão para tal, tendo muitas vezes, o cuidado com o quê e para quem vai falar.
A livre expressão está se perdendo em um momento da vida em que as relações são baseadas pelo que se tem e não pelo quê se é, e tudo o que você disser será usado contra você em algum tribunal da vida.
Liberte-se é a representação desse momento onde deixamos as palavras presas na boca, na alma, onde ocultamos o nosso verdadeiro ser, por vezes escondidas atrás das máscaras cotidianas que usamos, para se adequar a uma sociedade individualista.
O caos do mundo indica que é melhor não falar, ficar de boca calada é o básico que tem de ser feito para garantir um emprego, as relações, a hierarquia do poder “fala quem pode, cala-se que tem juízo”.
As pessoas perderam o direito a palavra às vezes porque não querem, outras, porque mesmo querendo não se pode. Busco neste trabalho mostrar como estamos presos dentro do nosso próprio eu, e como estamos deixando isso acontecer sem nada fazer, aceitamos o que os outros nos impõe, nos calamos, deixamos as palavras presas na boca por medo... Chega!...Liberte-se!

Nenhum comentário:

Postar um comentário