23 de ago de 2008

Os bebês




Excelente a materia da revista Professor Sassá nº 14 sobre a importância de brincar os bebês de 0 a 3 anos.

16 de ago de 2008

FELICIDADE REALISTA Por Mário Quintana

A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacotelouvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.
Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis.
Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num SPA cinco estrelas.
E quanto ao amor? Ah, o amor... Não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.

É o que dá ver tanta televisão.

Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.
Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.
Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.
Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável.

Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno.

Olhe para o relógio: hora de acordar.

É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade.
Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo.
Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça de que afelicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração.

Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade...

12 de ago de 2008

Vazio


Descrição da Obra: Falamos com o olhar, o nosso eu muitas vezes está oculto dentro de nós e não conseguimos expressa-lo em palavras. O olho vazado representa esse vazio que está dentro do homem na alma onde as vontades, sentimentos e emoções quase sempre ficam escondidas por não ter coragem ou oportunidade de ser verbalizadas.

“VIDA FACE FASES MOMENTOS VIVIDOS ALEGRES TRISTES SOFRIDOS MEDOS INSEGUROS COMPARTILHADOS MULTIPLICADOS MENOR PIOR GRANDE PEQUENO DESAFIOS OUTROS OUTRAS CACHORROS GATOS PAPAGAIOS SAPOS MASTIGAR CUSPIR ENGOLIR AMORES DOR MENTIRA FALSIDADE VERDADE DESILUSÕES SOLIDÃO SEXO DROGA MÚSICA DANÇA ARTE MORTE FÉ NASCIMENTO RECOMEÇO.... VIDA FACE FASES....”

Faces


Técnica: Mista
Dimensão: 0,30 X 0,30cm
Representa as diversas máscaras que trocamos durante o dia, que funde e se confunde com nossos sentimentos e emoções às vezes ocultadas e nos tornando presos nas próprias sombras.

más caras, trabalho em tecnica mista (acrilica sobre tela,pasta de modelagem, folhas de ouro, purpurina,... entre outros) 100,00X100,00cm.

11 de ago de 2008

Tela


Tela redonda para a coordenadora da educação infantil Verena.

Bocas Lacradas - trabalho selecionado para IX Bienal do Reconcavo - São félix



Esse ato se repete o tempo todo, no trabalho, com a família, na faculdade, com os amigos, não importa, estamos cada vez mais nos calando, ficando de boca lacrada, engolindo os sentimentos, emoções e medos. Normalmente, só abrimos quando alguém nos dar a permissão para tal, tendo muitas vezes, o cuidado com o quê e para quem vai falar.

A livre expressão está se perdendo em um momento da vida em que as relações são baseadas pelo que se tem e não pelo quê se é.

Bocas Lacradas é a representação desse momento onde ocultamos o nosso verdadeiro ser, por vezes ocultadas pelas máscaras cotidianas que usamos, para se adequar a uma sociedade individualista.

Esse trabalho é composto por nove sacos de tecido tipo lona com tamanho individual de 20X25cm. Cada saco possui uma boca com um zíper onde os observadores podem abri-la e verificar o que tem dentro, trazendo em sua parte externa uma palavra que representa determinados momentos da nossa vida e que formam uma frase:
“Medo de percorrer o caminho de doces desejos, mas de amargas lembranças e salgados momentos de felicidade.”

A relação do visitante em interagir com a obra representa que sempre terá alguém para abrir a boca do outro e deixar os sentimentos, emoções, desejos presos na garganta saírem como terá sempre alguém que lacre a boca engolindo os medos, desejos, felicidades, momentos,... .

Um trabalho que representa uma busca comigo mesma, onde tento aprender a calar-me e a entender esse mundo louco de pessoas individualistas e preconceituosas onde fingir é melhor do que dizer a verdade e as máscaras já faz parte do guarda-roupa de todos.

Conjunto caixas de MDf


Fiz esse conjunto de caixas de encomenda para presente. Equipe da Vescon obrigada!

Caixa de MDF


Faço caixas mais por encomendas com nomes, diferenciadas. Cada uma é unica. não gosto muito de repertir. Essa fiz para minha amiga-irma Selma de presente para ela.